A grande cartada, que fechou com xeque mate.

Um povo ordeiro, sem maldade, sem rancor, sem paz, sem amor, um povo sem nada! Vitima de uma classe hipócrita, egoísta, sem caráter, sem pudor, sem amor, sem classe, sem condições nenhuma de dirigir nem a limpeza de seus banheiros totalmente sujos. Portanto este povo tem em suas mãos uma oportunidade única, de libertação, de livramento, de ter suas vidas em suas mãos, de ter o controle dos seus, e de tudo o que lhes pertence, um povo que acordou, e que não dormira mais, até que seja devolvido, tudo o que lhes pertence, o controle de suas ações, seus direitos, seus deveres para com toda a sociedade, que cada membro pertence, trazendo novamente vida e vida com liberdade, com paz, com amor, com direitos, com deveres, comunidades com o controle de seus atos, cidades medias, com o controle de suas ações, cidades grandes com o controle de seu desenvolvimento, metrópoles, com a direção de seus caminhos, juntamente com todo o sistema operante de pequenas e grandes vias, trazendo um progresso um desenvolvimento para tudo e todos, em proporções de grande alegria para um todo e para todos. Um povo que aprendeu com os erros do passado, e que não aceitam mais a covardia e apoderamento de todos os segmentos de um sistema, onde os lobos se juntaram para festejar e repartir os despojos de uma batalha, covarde, desleal, desumana, de baixo calão, como e o agir de todos os poderes, que andam na contramão deste povo ordeiro, honesto, trabalhador, puro, gentil, amoroso, amável, integro, bom. Que foi usado por todos esses dias, por classes politicas, de todos os escalões, juízes, de todos os escalões, desembargadores, de todos os escalões, funcionários públicos, de todos os escalões, sendo que são; maus, desumanos, covardes, mal caráter, sem pudor, sem respeito, sem todas as condições mínimas, de um ser humano, de baixo calão. Portanto, o povo, precisa urgentemente, se organizar, se agrupar, se unir, contra todas as mazelas, que existem em todas as unidades da federação, para tomar o controle das mãos das tais mazelas, que ora, se instalaram e se uniram, protegendo se todos os que fazem parte de todo o tipo de subtração, onde os tais lobos, independentemente do escalão em que se encontrem, usurpam sem piedade, saqueando, roubando, extorquindo, debandando, escondendo, os recursos desta gente ordeira e gentil, à qual não aprendeu a se defender, destes lobos devoradores, que já amanhecem buscando a quem possa tragar, só se satisfazem com o mal, sendo que todas as obras deles, individualmente e coletivamente, juntamente com todos os seus. São de péssima qualidade, se alegram com os maus procedimentos, amam a mentira para encobrir suas mas obras, matam milhões de seres indefesos e inofensivos, praticam todo o tipo de maldade, tudo o que e mau, todos eles praticam, sem se importar, com o seu vizinho, a pessoa que esta do seu lado. Portanto a esse povo gentil e ordeiro, só resta uma saída, apenas uma luz no final do túnel. Tomar de volta o que e seu. Serem empossados em seus verdadeiros cargos, de detentores do direito de fato. Trazer a paz, o controle, o amor, a amizade, o respeito, o pudor, tais coisas que foram perdidas com a inclusão dos tais lobos de todos os poderes, pelos detentores do direito de fato. A hora e esta, na próxima oportunidade, esse povo gentil, não poderá passar esta única oportunidade que hora estará em suas mãos, sendo que outra oportunidade, na atual conjuntura, em que se encontra o nosso belo e sofrido país, demorara um tempo longo, para um ajuste, ao qual será necessário fazer; a nossa hora chegou, vamos nos unir, tomar de volta o que e nosso, expulsar, todos os lobos existentes nos poderes, e uma chance única, talvez não teremos outra. E a ultima cartada, e o xeque mate, portanto, precisamos nos unir em prol de um bem maior, que e a nossa pátria, nossos filhos, nosso povo, o limite do limite, já se passou a anos, não temos mais o que esperar, vamos rumo norte, a vitória, que será nossa com toda certeza, o que precisamos e de mais brio, entre nós.

Anúncios

Para onde iremos nós! Sem um líder forte, honesto e corajoso.

O que fazer, para onde ir, todos os seres sem rumo e indo pra lugar nenhum. Assim somos todos nós que estamos a mercê de um sistema e de um líder sem liderança, sem apoio, sem caráter, sem moral, sem voz, sem comando, sem nada. Portando para onde iremos nós sem liderança, sendo que a nós foi imposto a servidão, de uma forma à qual as correntes são reforçadas à cada dia, pela opressão e falta de tudo. Uma multidão indo pra lugar nenhum, alguns buscando seus próprios interesses, inerentes e alheios à vontade da maioria, uma minoria que buscam seus próprios interesses e deixam à margem da marginalidade uma totalidade, sendo que o seu percentual e igual ou superior a noventa por cento. O que fazer, como proceder e demandar uma saída, uma válvula de escape, uma solução para à maioria, que vem sendo dominada, por uma minoria, mal, covarde, inescrupulosa, sem caráter, sem nada, buscando o sol apenas, para a burguesia e todos em sua volta, deixando de lado a totalidade, que vem sendo excluída, sendo que a acepção, vem sendo praticada, desde de os primórdios da civilização, e nestas ultimas horas, tendo uma crescente e ascensão, de ordem global, sendo imposta pelo péssimo administrador deste sistema, sendo que o mesmo esta com os seus dias todos contados, sendo que desta forma trabalha em uma jornada ininterrupta para garantir arrebanhar uma quantia de seres, os quais estão indo pra lugar nenhum, sem a preocupação do preço a ser pago por cada ser, o qual sera cobrado e cada ser terá que pagar esta conta, não lhes sendo imposta à quitação desta divida, onde não haverá como buscar direitos, sendo que tudo o que cada ser fez, não lhes dará direito a um merecido credito, assim sendo os débitos que são muitos, precisam ser zerados, mas como proceder, se em uma contabilidade, para haver um fechamento de um operação, há necessidade de ter receitas, para que se possa zeras as despesas, como uma conta fecha, sendo que o ser só terá debito, e nenhum credito para contrabalancear a operação, só se fecha uma conta quando o ser tem créditos, havendo débitos, sera feito um fechamento, pra mais ou para menos, assim sendo a conta esta mais próxima de um acordo, ou firmamento de um pré acordo. Assim sendo como proceder em uma conta totalmente negativa em sua totalidade, sem haver créditos, sendo que na sua totalidade, os seres, não se preocuparam com tal fechamento de conta, mas, ninguém será tratado como inocente, sendo que contas vencem. Um dia chegara o cobrador na porta, e naquele dia, será feito um acerto. O cobrador, vem para receber o que lhe e de direito, o devedor, terá que pagar, sendo que alguém assinou a nota promissória, de nada adianta reclamar ou se mal dizer, ou culpar alguém, ou mesmo assim transferir a responsabilidade, de nada adiantara, pois o dever o do devedor e pagar, o direito do cobrador e receber, o que lhe pertence. Ainda resta tempo, para conseguir créditos, antes que os da noite, venham, porque temos que trabalhar na jornada diurna, e não na noturna, sendo que à noite ficou em sua totalidade, para descanso. Portando vamos adquirir tais créditos, sendo que o dono em breve virá, e fara um acerto com todos os seres, busquem adquirir o que e correto, não troque o que e correto pelo o incorreto, de nada adianta tanto trabalho. Sendo que os verdadeiros créditos não lhe serão acrescentados. Portanto os dias que se aproximam, nos farão, rever conceitos, quebrar paradigmas, fazer consertos, pedir desculpas, perdão, procurar acrescentar, somar, multiplicar, sendo que nada adiantará, o construtor chorar, por ter perdido a construção que foi edificada, em lugar improprio. À este construtor só lhe restara, reedificar novamente a construção, sem fazer nenhuma reclamação, ou mesmo cobrança indevidas, sendo que ele e o principal responsável, pela edificação do empreendimento, que ora foi alvo da própria irresponsabilidade deste construtor, que fez a edificação, talvez nos padrões mas em lugar improprio. Desta forma estejamos todos nos preparados para a reconstrução de uma nação, porque não dizer país, onde os construtores, em sua totalidade fizeram todos os procedimentos impróprios, os quais se deveriam, fazer. O preço, quem pagara! Esta conta, será enviada para cada; casa, apartamento, rincão, de leste a sul e de oeste a norte, deste país, onde cada ser que tem sua sede estabelecida, em cada unidade de federação, instituídos em seus mais de cinco mil municípios. Receberão estas contas para fazerem suas devidas quitações, onde mesmo sem credito, sendo que não praticaram tais atos de irresponsabilidades, terão como dever, fazer as devidas contas fecharem. Esta brava gente brasileira, terá uma única chance de mudar todo este estado ineficiência, vencer o estado estático e degradante, em que se encontra o nosso país, neste mês de novembro de dois mil e dezoito. Somente com a união, perseverança, esforço, lutas, obterão a vitória, para dar um rumo ao nosso belo país, que sangra, por atos de vândalos que se infiltraram nos poderes deste belo país. Vamos a luta brava gente brasileira, somente com a união deste povo forte, honesto e trabalhador. Expurgaremos todos os ocupantes dos poderes deste belo pais. A todos nós, gente de bem e trabalhadora, chegou a hora de vencer tudo o que e contrário, que ora subtraiu o comando deste belo país, e somente um povo forte, unido, organizado, vencera todas estas facções que estão sugando o nosso belo país em todas as unidades de federações à mais de vinte, cinquenta, cem anos, oligarquias, coronéis, que fazem uso do que não lhes pertence, em prol dos seus e de toda a corja, que lhes cercam. Reage Brasil, você já passou por portugueses, espanhóis, franceses, italianos, japoneses, ingleses, americanos; de todos você saiu vencedor, portanto vamos a vitória final, expurgar à todos os corruptos em sua totalidade hoje em mais de cem por cento, e repatriar todos os recursos subtraídos de ti, o Brasil amado? Para ti! Pátria Mãe, e para o sustento de teus filhos.

O sistema se opondo? Ao detentor do direito de fato!

Oligarquias, traçando uma direção contraria ao poder de fato estabelecido, onde cidadãos de bem, ficam na contramão do seu direito, ora estabelecido pela carta magna do país, a intransigência de políticos corruptos, onde em sua totalidade se instaurou em nossa pátria, sendo que vieram pelos mares, de onde foram expurgados de sua pátria, onde com suas artimanhas e mentiras, roubando a inocência de um povo nato e sem maldade, foram estabelecidos para um domínio temporário, sendo que os mesmo impuseram suas mãos sujas e com suas mentes malevolente, subtraindo uma pátria inteira das mãos dos reais donos do poder! O gigante adormeceu com o poder e acordou sem o mesmo, e pior com perda de seus reais direitos, onde oligarquias e políticos trabalhando na calada da noite, também subtraíram os direitos que hora este povo bom, adquiriram, após séculos de lutas e sangue, tirando os fragmentos dos seus direitos das mãos monárquicas e oligárquicas de um passado distante, em contrapartida, as oligarquias e os políticos corruptos, se uniram para quebrar toda a ordem que à séculos foram estabelecidas, restando ao povo bom e honesto, restos do fragmentos, que seus ancestrais, conseguiram com muita luta e sangue. Somente a união deste povo bom e honesto, contra toda a imposição e maldade das oligarquias e toda a classe politica e empresarial deste belo país, para quebrar todo o retrocesso de anos de desgovernos, ora implantados pela falta de sabedoria deste povo bom e honesto, que se tornou; refém dos lobos, os quais sempre vieram e vem, vestidos de cordeiro. O povo bom e honesto, cresceu em sabedoria e entendimento, já e hora de dar um basta; na regressão dos últimos 700 anos, dar uma nova cara para este belo país; que sangra a mais de sete séculos. Rumo ao século vinte e um, sem as mazelas do passado, não seguir exemplos de unidades da federação, que sangram a mais de cinquenta anos, um povo sem futuro e sem cultura, sendo que para os coronéis e pros seus, isto e um paraíso, que o Brasil do século vinte e um, tenha menos discursos, e que o gigante povo brasileiro, de um trezentos e sessenta grau, neste belo país, onde seus descendentes, tenham um futuro! não somente os filhos dos grandes industriais, não somente os filhos dos grandes, do agronegócio, não somente os filhos dos políticos, não somente os filhos dos desembargadores, não somente os filhos dos juízes, não somente os filhos dos promotores, não somente os filhos das grandes oligarquias, não somente os filhos da raça ariana, mas que o povo brasileiro, renasça das cinzas dos últimos acontecimentos deste belo país, onde foi mostrada a cara dos tais, para todo o belo país e todos os continentes deste planeta. Que tenhamos um país, com mais prisões para políticos, promotores, desembargadores, juízes, empresários, industriais e todas as grandes oligarquias, instauradas neste belo país. Que assim haja um equilíbrio, nos presídios deste belo país, onde hoje encontramos na sua totalidade, enquadrados, segundo o sistema, pessoas em processo de ressocialização, pessoas excluídas desta sociedade hipócrita, desumana e covarde, os sem condições de nada, que vivem à margem da marginalidade e exclusão. Sendo vitimas de todos estes segmentos. Que tenhamos um país com igualdade de direitos e deveres, onde os poderes façam o seu papel, em prol da nação, não em prol de seus benefícios, se intercalando na defesa dos interesses de poderosos e grandes grupos de ordem nacional e internacional. Onde são canalizados recursos de cifras jamais alcançadas pela base, para grupos que detém um poderio nos poderes da nação e nas unidades de federação desta nação. Esta na hora destes cento e vinte milhões de brasileiros, assumir o controle e expurgar todas as mazelas deste belo país, assumir, delegar, direcionar e por ordem, para que o progresso, volte à fazer o grande gigante adormecido, vencer a inercia dos últimos trinta anos, onde esteve em estado estático e pausado, como uma anestesia de grande proporção, à qual, fez o gigante, adormecer. O Brasil que queremos? Esta ao nosso alcance; com a união e cooperação, chegaremos ao nosso objetivo, vamos dar um basta a regressão, nosso objetivo como futuro, e uma limpeza geral dos poderes deste belo país, nas unidades de federação e no distrito federal. Só desta forma, os jovens, deste belo país, terão um futuro, e a esperança de dias vindouros, sem as mazelas contemporâneas, as quais vivenciemos nesta triste realidade, VAMOS A LUTA! Vamos fazer acontecer. A Ordem e o Progresso, nos esperam, num futuro próximo e que tenhamos dias melhores, para nos orgulharmos, que o patriotismo nos ilumine e guie.

DEPOIS DA ONÇA MORTA? TODOS ATIRARAM!

Após a incapacidade de defesa de um animal abatido, e bem fácil, tornar-se o autor do ato praticado, porem somente os seres de uma elevação acima da media, reconhecem e respeitam o ser abatido, sendo que a maioria dos demais, uma grande parcela dos seres humanos, não teem este pre requisito, a nos simples mortais, devemos apenas ignora-los, sendo que o nosso tempo e demais de precioso, para perdermos tempo com tais irracionais. O respeito aos seres independe de cor, raça, gênero, posição social, credo, religião, os seres humanos, perderam parte ou total, de sua capacidade de reconhecimento, quanto à um ato praticado ao seu semelhante, porem muitos buscam um reconhecimento individual, desprezando o sofrimento do coletivo, apenas para se tornar conhecido ou reconhecido, segundos de uma gloria, que mais parece uma nevoa de um lago, próximo ao final da tarde! Onde foi parar o amor, o respeito, a dignidade, o perdão, o amor, aquele algo mais que diferencia todos os seres humanos, dos demais seres, sendo que nos últimos dias, os animais irracionais, estão mais próximos e preenchendo estes requisitos, do que todos os seres humanos. Uma morte uma vida ceifada, se torna uma batalha entre os tais seres, pra ver quem faz um enegrecimento maior daquele, que não pode se defender, e os seus com suas forças reduzidos, apenas lançam um olhar, sem entender direito o que esta acontecendo, nem como esta acontecendo, ou seja o abatido, sendo esfacelado, por uma grande parcela, dos tais que deveriam ter o mínimo de respeito, ser digno ao momento do acontecimento. Lembrem-se ninguém esta aqui de passagem ou porque e melhor que seu semelhante, todos estão aqui fazendo um plantio, se o plantio do meu vizinho e pior ou melhor do que o meu, não me cabe fazer nenhum pré julgamento, ou julgamento, sendo que estou no mesmo barco que o meu vizinho, apenas devo seguir o meu plantio, com tudo os seres deste dia, independente de posição social, quanto ao abatido, lançam lhe todas as suas injurias e suas mas intenções, seus fracasso, suas discórdias, seus mais diversos problemas, os quais não conseguem solucionar, porem desta forma e mais fácil transferi los, para quem não tem o mínimo de força, par se defender, quanto hipocrisia, destes seres, “e fácil pisar na formiga, porem no elefante, este ato são apenas para os fortes, e poderosos, não tendo este privilegio à grande parcela dos tais seres., portanto, antes de apontarmos os nossos dedos, precisamos fazer uma grande reflexão: “Eu sou superior ao meu irmão, tenho autoridade sobre a minha vida ou meus atos, sou infalível, estou acima de todos os sistema, quem sou eu, para fazer julgamentos”. Tarefa difícil, este reconhecimento e apenas para os fortes e inteligentes, requisito que não esta ao alcance dos noventa porcento da população mundial. Nada contra os julgadores, mas, só lembrando, todos que aqui estão, neste sistema, tem o seu prazo de validade, e quando chegar o vencimento, não tem rico, pobre, preto, gênero, credo, todos receberão conforme seus créditos, os que possuírem, e os débitos, precisarão ser equacionados, numa conta em que esta o credor e devedor, para um acerto, o devedor precisa quitar seus débitos, o credor, precisa receber os seus créditos, portanto, a conta somente fechara com um acordo, do que está certo, ou foi acordado, um dia antes. Não nos cabe atirar pedra em ninguém que esteja com os seus ventos de sopro em suas narinas, muito menos quem não tem este sopro de vida, que lhe foi tirado. Muita calma nesta hora, para não cairmos na mesmice, porque fácil e dizer que atirei na onça, sem tela feito. Um dia, chegara sem que ninguém espera ou espere, que haverá um acerto. E de nada adiantara dizer; mas eu atirei na onça sem telo – feito, neste dia à verdade vira, e os que pregam o contrario, neste dia ficarão em uma situação incompleta e sem uma defesa, sendo que o fez durante um período, foi o que não acrescenta, neste dia a verdade vira, por enquanto aqui neste sistema, não existe esta verdade, portanto muito cuidado, se for apontar o dedo faça com o mínimo de responsabilidade, sem trazer mais malefícios para os demais, que não tem culpa de certos atos praticados, por.

NO MEIO DO CAMINHO, TINHA UMA PEDRA!

O poder do discurso, que influencia, fazendo escravos e subservientes, tornando-os presas fáceis, desde os primórdios da civilização, grupos primitivos e não primitivos, os quais seguem uma direção, onde quem esta no comando, dita as regras, não aceitando discórdias, nem contradições, à seus ideias.
A politica escraviza e tornam cidadãos dependentes, onde os interesses de poderosos, são atendidos desta forma, não dando chance aos menos esclarecidos, que se tornam escravos e dependentes de um sistema, onde os direitos tendem a ser direcionados apenas para um lado desta sociedade, já os deveres, não seguem o mesmo caminho, onde se criam um distanciamento grande, entre os que detém o poder, sendo que esta transferência de poder, nem sempre trarão beneficio individual ou coletivo, sendo que todos os benefícios, não lhes pertencem. Sendo canalizados todos os meios e lucros, que sempre tomarão a direção oposta do povo, tendo uma direção contraria ao povo. houve um direcionamento a privilégios e protecionismo a um grupo seleto de políticos, empresários, banqueiros e toda à elite burguesa, os quais sempre se protegem e lutam, sempre! por seus interesses e de seus partidos e grupos aliados. O regime militar, procurou, descentralizar este controle centralizado e canalizado, usados pelos sistemas políticos. Apesar da representatividade não tomar o rumo correto, sendo por imposição do sistema em poder, onde generais negociavam entre um grupo seleto e pequeno de pessoas, onde a representação, não seguia um caminho, o qual era democrático e de representação. Nestes sistemas o voto do povo de uma certa forma, não seguiu a dinâmica correta, onde o eleitor esteve no controle. Apesar dos veículos de comunicação, imprensa e mídias, mais o principal responsável pelo processo. Não opinou! Outro fator complicador, e a forma do processo democrático, onde são filtradas todas as informações, pros eleitores, eles não tem acesso as informações necessárias para fazer um rastreamento sobre o processo e os que estão envolvidos no processo, ficado sem controle sobre seus atos. “São meros passageiros de um sistema” Que são dirigidos por políticos e partidos. Em segundo lugar, para os eleitores que são fatores principais no processo democrático, não chega as informações negativas sobre um todo, chegam apenas informações de ordem positiva, onde há um caráter de influencia e condução de uma situação, onde alguém ganha e alguém perde, e, sempre quem perde e o principal responsável pelo processo democrático, que só saberá do verdadeiro acontecimento, quando não pode regressar a um estagio anterior. Os eleitores a serviço de grandes grupos, sendo vitimas de um sistema desigual e desonesto, em que sua única função e servir aos interesses de megacorporações e seus fantoches políticos. Usando assim um direito do eleitor para que sirva aos interesses de grupos e elites burguesa. No caso de vereador, contando com uma comunidade local, onde quase todos se conhecem, e buscam se ajudar, normalmente famílias, nas escalas mais altas, Governador, Senador, Presidente, há um jogo de interesses, onde os eleitores, são simples bonecos nas mãos dos mesmos, sem nenhuma condição, antes ou após as eleições, estes eleitos somente servirão aos interesses de grupos, oligarquias, empresas e megacorporações. O eleitor neste caso, passa a ser descartado, onde os eleitores dificilmente terão acesso com os eleitos, ficando sempre no impedimento, antes e depois das eleições, neste caso oligarquias e megacorporações, dão as cartas. O individual e coletivo, precisam ser disciplinados, para que as regras deste sistema, onde os pesos e medidas são desiguais, trazendo benefícios para grupos, os quais nem sempre se lembram, ou melhor há um descaso com o detentor do poder de fato, onde este poder e transferido, e em contrapartida não há equilíbrio nesta transação, ou neste acordo. As colônias e suas descolonização, que foram seguidas por grupos políticos trabalhistas e outros, os quais, acreditam estar numa posição superior, o egocentrismo nato, onde o outro, esta as suas ordens e aos seus interesses e dos grupos aos quais o politico pertence, não se importando com o outro, apenas aos seus. Há uma necessidade de reeducação em todas as bases deste sistema, começando pelos mais jovens, no sistema, uma reestruturação voltada para os interesses de todos, não apenas de grupos, corporações ou megacorporações, sendo que o poder e do povo, para o povo, existe uma inversão neste sistema atual. Que precisa ser debatido à curto prazo. Para que em médio prazo, não haja uma falência total deste sistema atual.

Todos os seres humanos, vivem de sonhos, é preciso, alimenta-los.

Onde esta Max, onde esta Lola, para onde Pietra vai. À vida como uma luz de um pequeno e antigo candeeiro, onde o seu querosene esta por quase no final, e vemos esta luz, do pequeno e velho candeeiro, quase se apagando, tentamos entender, esta lógica, que e a razão do inicio, meio e fim, não suportamos esta ultima parte, e a que mais nos distancia do racional. Como seguir este velho e pequeno candeeiro, o qual o querosene, esta por finalizar, e ao apagar deste velho e pequeno candeeiro, como segui lo, em uma noite de grande nebulosidade, à quem recorrer, sendo que estão todos debaixo do mesmo julgo. E ninguém e dono de nada aqui neste sistema, o qual todos, tem prazo para finalizar, suas atividades. Como seguir e qual direção seguir após o ultimo migalho de luz do pequeno e velho candeeiro, sendo que somos fracos e impotentes para as adversidades desta vida, aqui neste sistema impuro e cruel. Onde localizar este elo, o qual ficou parado em algum lugar desta trajetória, sendo que não há como retroceder, ou buscar uma ligação com o ontem, porque não se e dono de nada. Ao buscar as resposta para este feixe de luz, onde se inicia em um determinado grau e a cada dia, neste sistema, tende a diminui la, sendo impossível reativar com as forças de ontem, ao começar esta caminhada, como, não causar os mesmos descuido, de ontem. A busca do ser humano, por causas as quais não se podem alcança las, nos entristecem, mais a ordem e esta, e a nós, somente devemos segui las, à nós sempre será impostas, as regras, à nós, sempre será permitida, apenas. Dar prosseguimento. À nós simples mortais, não e dado este direito, temos que seguir a fila, não podemos parar. Porque conforme o andamento da fila, nos e impedido, de parar, precisamos continuar, muitas vezes nos faltam, forças, incentivos, palavras de conforte ou esperança, mais como não nos e permitido, parar, precisamos dar sempre, mais um passo, no sentido do extinto, muitas vezes rumo ao nada, sem direção, seguindo por seguir, conforme o andamento desta grande fila, que nunca para. “já dizia certa frase de uma musica, eu não posso parar, porque não tenho este direito”, andando sempre procurando este tal, porto seguro, o qual nunca encontramos, chegando; até, em nossa mente, imaginar, que o tal, não existe, são criações, de certos intelectuais, de um passado distante, somente para nos incentivar, a tal procura. Como a corrida do ouro. Ao qual muitos encontravam, o tal metal, mas com uma analise mais técnica, se verificava, que o tal metal. “era ouro de tolo”, a busca continuava, dia após dia, mês após mês, sendo que o tal metal, o qual tinha a origem e o quilate, próprio, jamais era encontrado. E a fila seguia, por muitos dias. A nos simples mortais, só nos resta! Olhar para a tal fila, que nunca para, então um dia, alguém olhará para a mesma, como nós olhamos hoje. E quando isto acontecer, então saberemos, que não fazemos mais parte desta grande fila, que nunca para, são acrescentados ou tirados dela, alguns indivíduos. Que serão substituídos por outros, e assim ela prossegue, como uma competição, onde o perdedor sai, e o ganhador entra, e amanha, este que foi ganhador hoje, será substituído por outro ganhador, e a tal fila, nunca para! Porque ela nunca tem em seu corpo, os mesmo elementos, sempre em um determinado período, são substituídos. E assim a fila segue, a vida segue, para alguns, outros não, sendo que ficam pela caminho, no decurso do percurso, e assim tudo se transforma, onde nesta transformação, são colocados elementos novos, e tirados elementos, novos de media idade ou mesmo de idade avançada, a tal fila não tem preferência ou paixão, por quem esta nesta grande fila, se analisarmos por este ângulo, ou lado, como queiram, a vantagem desta grande fila, e que ela, por não ter preferência por idade, cor, sexo, raça, etnia, clero, ela faz um nivelamento, de todo o ser, não colocando, ou separando uns dos outros, como fazem os homens na terra, que fazem esta separação, levando em consideração, ou usando métodos de avaliação e separação, baseados, no poder do tal. Que quando tem o sopro de vida, esta no topo da pirâmide, sendo tirando o sopro, e substituído por outro no topo desta mesma pirâmide. Assim sendo, à todos nós, que estamos nesta grande fila, independentemente, de classificação, vamos dar mais um passo. “não podemos desistir, porque, não temos este direito”. E a fila segue… (“Alimente, um cachorro, por três dias, ele será grato, por trinta anos. Alimente um homem, por trinta anos, ele lhe esquecerá em três dias”). Que ser racional, ainda assim prefiro os seres irracionais, são mais confiáveis e sempre poderemos contar, com eles.

Estou aqui pra aprender, Não para julgar!

São na sua totalidade os que julgam, uma grande parcela da humanidade parece que recebeu uma ordem de alguém para julgar, sendo que apontam erros a todo o instante. Sendo que são passivos de erros todos os seres humanos, nenhum ser esta acima do outro, todos estão numa mesma classificação, como proceder sendo que o errado julga o errado. Apontar erros e fácil, difícil e não comete lós, sendo que errar e humano. Este procedimento e uma ordem, que imposta a todos os seres humanos, todos estão debaixo do mesmo julgo. Porque um querer ser superior ao outro. Quando o sopro de vida sai deste corpo, todos que tem prazo de vencimento, precisa em um curto período de tempo ser colocado numa urna e a terra para a ser o seu cobertor. Este ser não existe mais como cidadão civil, ele passa a morar em um outro lugar, não tendo direito de mudança, não terá mais gostos e desgostos. Então porque esta irracionalidade deste ser, quanto ao seu semelhante, que esta debaixo da mesma lei. Como proceder para que estes seres vivam em armonia paz e mansidão, se respeitando uns aos outros. Qual passo seguir qual lei procurar, o que devera ser feito para que isto aconteça, sendo que todos os homens são maus, egoístas, avarentos, gananciosos, sem caráter, ambiciosos, e principalmente, desumanos, o que deveria dar exemplos aos outros animais, que são irracionais, são exatamente o racionais. Engraçado, que inversão de valores, o que pensa, perde em sua totalidade para o que não pensa. Quanta maldade deste ser. Que deveria ser uma elo nas boas ações da vida, protegendo os mais desprezados. Mais acontece exatamente o contrario, o cachorro não abandona o seu amigo, esse tal de homem. Porem o homem despreza e desrespeita o cachorro. Um animal que não pensa praticando o verdadeiro amor. Um animal pensante praticando o desamor. Precisamos aprender muito com os animais irracionais, eles nos ajudarão a chegar num denominador comum, um divisor de aguas. Onde os verdadeiros valores, perdidos pelos seres humanos, talvez! Num futuro a médio prazo, possam ser resgatados, em parte, ou em sua totalidade. Quem viver? Verá! À nós, simples mortais, ficamos a mercê da falta de tudo do ser humano, talvez um dia! Quem sabe? Resta uma luz no final do túnel, e que jamais, perdamos este túnel de vista, sendo que com esta perda, se tornaria irreversível, tal ato! Acreditamos em um elo de ligação do bem contra o mal, sendo que inicio era ato normal, precisamos rever valores, conduta, legalidade, a partir deste ponto, talvez encontremos, o caminho de volta, sendo que desta forma, viveríamos em união, paz, amor, mansidão, respeito, partindo do pressuposto que todos os animais, em seu habitat, se uniriam, em uma grande onde, de ajuda, no individual e no coletivo, de todas as espécies, que passam por este sistema. Vamos aguardar! Este revés, em sentido do correto e do puro.

Os sistemas de governo, contra o povo!

Helicóptero, cavalaria montada, policias militares e civil, amarelinhos, pás carregadeiras, caminhões, tratores, SAMU, Aguas Cuiabá, Energisa, todo este aparato, contra meia dúzias de descamisados e descalços, Sendo eles; Velhos, Mulheres e Crianças, que só querem ter direito a um pedaço de chão, “Um lugar ao sol”, coisa que o estado de direito, não lhes deu, nem dá. “E fácil pisar na formiga, difícil mesmo e enfrentar o elefante”. Destruindo sonhos mesmos que pequenos ou insignificantes para muitos, porém para estes pequeninos são sonhos de uma vida inteira. Este e o sistema opressor, que faz a exclusão social de grupos e classes. O descaso o desrespeito, a pressão contra os excluídos de um sistema covarde e opressor, que não protege os seus cidadãos mais necessitados, onde o menos protegido, são tratados como marginais, desordeiros, bandidos; os que estão à mercê do estado, onde este estado não os conhece, nem os vê. Um estado, através de seus segmentos, que, ao não fazer a sua parte, que e, dar direitos mínimos aos cidadãos, os tira, jogando-os à margem da marginalidade, sendo que estes buscam seus direitos, com as armas que tem, talvez de uma forma arcaica e ultrapassada, sendo que cada um luta com o que tem. Se o estado vem com todo o seu poderio bélico, para massacrar, intimidar, destruir, os desprotegidos e sem condição de nada. Sendo que foram abandonados por este mesmo sistema, que em sua totalidade e burguês e podre, protegendo os grandes e poderosos, deixando a sua grande totalidade desprotegida, desarmada, em todos os segmentos, deste estado burguês e opressor. Onde o que e certo, torna-se errado, e, o que e errado, tornando da forma que este estado burguês e opressor, quer. Sendo assim desta forma, deste de antes dos primórdios da humanidade, onde os opressores, coronéis, ditadores, e o próprio estado, sempre fez o seu belo papel. Pisar no mais fracos, e se acovardar para os mais fortes. Sendo que os poderosos dizem ao estado, o que eles querem, restando a este estado, apenas fazer o cumprimento. Não tendo nenhum interesse, pelos mais fracos, proletários, pobres, desprotegidos, e os que não tem condição de nada. Este estado desumano, age com toda a sua força, contra os menos favorecidos, tirando dos pobres e que não tem condição de nada, transferindo para quem não precisa; dinheiro, poder, terras, e as melhores condições para os que não precisam, e que tem condição de tudo. E chegada a hora de uma grande reflexão: “qual o interesse deste estado de direito, a quem ele serve, e para que ele serve” um estado que oprime e sempre desrespeitou, os que realmente precisam e que não tem ninguém por eles, somente forças contrarias, sendo elas, o burguês, o estado e todo o sistema, que deveria barrar, estas forças arcaicas e ultrapassadas, que não mudaram nos últimos cem anos, e não nos da esperança nenhuma nos próximos cem anos. O que fazer, a quem recorrer, como buscar uma solução, para o que não tem solução, enquanto reinar o homem mau. E sem amor, que apenas faz muitos sofrerem, e que uma minoria se alegra, com o sofrimento de muitos. Onde recorrer e a quem buscar uma saída, para esta atual conjuntura, que ora se instalou, neste sistema, ao qual não buscam soluções no coletivo, é sempre no individual, transferindo tudo o que e melhor para um seleto e pequeno grupo burguês, e que este pequeno grupo seleto tem a aprovação do estado burguês e opressor, que não protege os seus na sua totalidade, burlando leis, e não respeitando a carta magna deste país. Onde os escritos não são respeitados ou substituídos conforme os interesses de poderosos que tem o poder da caneta que mata e não ajuda, à quem e o interessado de fato, e muito pior os mais desprotegidos, e, que não tem ninguém por eles. Onde grupos se unem sem a aprovação de quem e detentor do direito de fato, e não tem o poder da caneta, que ora fora transferido, para um outro ser, ao qual enganou à muitos dos que não tem o poder da caneta, e, a usa contrariamente, contra o seu próprio detentor do direito de fato.

Nenhum ser humano, consegue mudar o passado!

Todos os homens são iguais, porem o plantio de cada um e diferente? uns plantam boas sementes, outros plantam sementes de media germinação, mais uma grande parcela destes seres; plantam uma sementes de péssima qualidade. Logo após este plantio, vem à colheita, muitos passam a se fazer de vitimas e fazem o que lhes e habitual, transferência de responsabilidade, isto faz me lembrar de uma frase que ouvi certa vez. “tutti buona gente, ma tutti ladri”. Todos querem ser bons, ninguém quer ser mau, porem quando temos a oportunidade de fazer as tais mudanças, uma grande parte não faz. Mesmo sabendo do que vem, já prepara o seu discurso, e faz se de vitima. Mas nem tudo no futuro e possível mudar. E possível fazer as tais mudanças no presente, para que tenhamos um futuro com o menor prejuízo possível, sendo que neste mesmo futuro, de nada adiantara as reclamações por feitos executados no passado, os quais sempre trarão grandes prejuízos ao individual e ao coletivo. No presente sempre será possível fazer todas as mudanças, porem no futuro de nada adiantará tentar, pois todos as tentativas serão neutralizadas pelos atos praticados no passado. Enquanto há vida, sempre haverá esperança, sendo que após à finalização da respiração, nada mais será possível, sendo que este ser, não existira mais, nem civilmente, e muito menos como um ser que dependerá totalmente de uma força superior, para fazer as devidas transformações as quais serão de extrema necessidade, para os próximos passos, não aqui neste sistema, que já terá findado ou finalizado a sua historia, mas para uma vida plena e reta e correta. Onde o ser, precisara preencher requisitos, sem os quais, não fará parte dos graduados, pós graduados, doutorados, PHd, e por ai vai; procure fazer a sua parte, sendo que as transferências futuras, não lhes dará, ou melhor, não lhe imporá condições adversas ou contrarias, as quais, dificultará a transferência. Alguns constroem muralhas, outros cercas de arame, e muitos colocam pedaços de madeiras em circulo, todos no seu mundo, achando que estão protegidos e que nada lhes alcançarão em algum prejuízo ou perda. Mas são todos tolos! Porque a verdadeira proteção não vem do homem. Muitos buscam alargar seus horizontes, poucos se colocam na posição de conforto, e alguns ainda mantém a sua posição estática, ou de pequena força através do vencimento da inercia. Mas todos mantém suas esperanças em uma força menor, à qual não poderá fazer nada pelo futuro, ou mesmo mudar este futuro. Sendo que o passado, ou mesmo o presente não foi vencido este estado estático, através de um pequeno esforço de vencimento da inercia, através de uma força contraria para um plantio, onde não haverá uma ceifa futuramente. Então o que esperar! Não muito, sendo que o tempo passou e não foi lhe aplicado, o fator necessário para quando a necessidade chegasse, buscar no cofre os créditos, que não lhes serão dados, sendo que; na busca destes créditos, foram encontrados somente, débitos. Uma parcela mínima dos seres, buscam através da graduação, vencer este estado estático, para passar a classe, onde parece inatingível, sendo que pro proletário, tudo e possível, sendo que os degraus serão direcionado, não por mãos de homens, mas por uma força superior, um ser onde os que, os débitos sobrepõem os créditos, precisam fazer um empréstimo, não em bancos de homens, mas em um banco, onde poucos tem acesso, sendo que todos tem este direito, porem os requisitos impostos aos seres, não são compridos, e desta forma muitos saem da lista, e procuram os meios, onde parecem ser mais fáceis, porem as voltas são muito mais longas e complicadas, trazendo, dificuldades e malefícios, aos seres que a buscam de uma forma contraria, sendo que o inicio e o inicio, e muitos começam pelo fim, desta forma. O que lhe e imposto, e uma retração de ordem superior, onde o caminho, onde deve ser feito esta correção, e muito estreito e com vários níveis de dificuldade, um preço onde uma parcela grande dos seres, não estão dispostos à cumprir. Sendo de uma facilidade sem extremo, pois teremos uma força grande e infinitamente, onde tudo será ponderado e ajustado.