DEPOIS DA ONÇA MORTA? TODOS ATIRARAM!

Após a incapacidade de defesa de um animal abatido, e bem fácil, tornar-se o autor do ato praticado, porem somente os seres de uma elevação acima da media, reconhecem e respeitam o ser abatido, sendo que a maioria dos demais, uma grande parcela dos seres humanos, não teem este pre requisito, a nos simples mortais, devemos apenas ignora-los, sendo que o nosso tempo e demais de precioso, para perdermos tempo com tais irracionais. O respeito aos seres independe de cor, raça, gênero, posição social, credo, religião, os seres humanos, perderam parte ou total, de sua capacidade de reconhecimento, quanto à um ato praticado ao seu semelhante, porem muitos buscam um reconhecimento individual, desprezando o sofrimento do coletivo, apenas para se tornar conhecido ou reconhecido, segundos de uma gloria, que mais parece uma nevoa de um lago, próximo ao final da tarde! Onde foi parar o amor, o respeito, a dignidade, o perdão, o amor, aquele algo mais que diferencia todos os seres humanos, dos demais seres, sendo que nos últimos dias, os animais irracionais, estão mais próximos e preenchendo estes requisitos, do que todos os seres humanos. Uma morte uma vida ceifada, se torna uma batalha entre os tais seres, pra ver quem faz um enegrecimento maior daquele, que não pode se defender, e os seus com suas forças reduzidos, apenas lançam um olhar, sem entender direito o que esta acontecendo, nem como esta acontecendo, ou seja o abatido, sendo esfacelado, por uma grande parcela, dos tais que deveriam ter o mínimo de respeito, ser digno ao momento do acontecimento. Lembrem-se ninguém esta aqui de passagem ou porque e melhor que seu semelhante, todos estão aqui fazendo um plantio, se o plantio do meu vizinho e pior ou melhor do que o meu, não me cabe fazer nenhum pré julgamento, ou julgamento, sendo que estou no mesmo barco que o meu vizinho, apenas devo seguir o meu plantio, com tudo os seres deste dia, independente de posição social, quanto ao abatido, lançam lhe todas as suas injurias e suas mas intenções, seus fracasso, suas discórdias, seus mais diversos problemas, os quais não conseguem solucionar, porem desta forma e mais fácil transferi los, para quem não tem o mínimo de força, par se defender, quanto hipocrisia, destes seres, “e fácil pisar na formiga, porem no elefante, este ato são apenas para os fortes, e poderosos, não tendo este privilegio à grande parcela dos tais seres., portanto, antes de apontarmos os nossos dedos, precisamos fazer uma grande reflexão: “Eu sou superior ao meu irmão, tenho autoridade sobre a minha vida ou meus atos, sou infalível, estou acima de todos os sistema, quem sou eu, para fazer julgamentos”. Tarefa difícil, este reconhecimento e apenas para os fortes e inteligentes, requisito que não esta ao alcance dos noventa porcento da população mundial. Nada contra os julgadores, mas, só lembrando, todos que aqui estão, neste sistema, tem o seu prazo de validade, e quando chegar o vencimento, não tem rico, pobre, preto, gênero, credo, todos receberão conforme seus créditos, os que possuírem, e os débitos, precisarão ser equacionados, numa conta em que esta o credor e devedor, para um acerto, o devedor precisa quitar seus débitos, o credor, precisa receber os seus créditos, portanto, a conta somente fechara com um acordo, do que está certo, ou foi acordado, um dia antes. Não nos cabe atirar pedra em ninguém que esteja com os seus ventos de sopro em suas narinas, muito menos quem não tem este sopro de vida, que lhe foi tirado. Muita calma nesta hora, para não cairmos na mesmice, porque fácil e dizer que atirei na onça, sem tela feito. Um dia, chegara sem que ninguém espera ou espere, que haverá um acerto. E de nada adiantara dizer; mas eu atirei na onça sem telo – feito, neste dia à verdade vira, e os que pregam o contrario, neste dia ficarão em uma situação incompleta e sem uma defesa, sendo que o fez durante um período, foi o que não acrescenta, neste dia a verdade vira, por enquanto aqui neste sistema, não existe esta verdade, portanto muito cuidado, se for apontar o dedo faça com o mínimo de responsabilidade, sem trazer mais malefícios para os demais, que não tem culpa de certos atos praticados, por.

NO MEIO DO CAMINHO, TINHA UMA PEDRA!

O poder do discurso, que influencia, fazendo escravos e subservientes, tornando-os presas fáceis, desde os primórdios da civilização, grupos primitivos e não primitivos, os quais seguem uma direção, onde quem esta no comando, dita as regras, não aceitando discórdias, nem contradições, à seus ideias.
A politica escraviza e tornam cidadãos dependentes, onde os interesses de poderosos, são atendidos desta forma, não dando chance aos menos esclarecidos, que se tornam escravos e dependentes de um sistema, onde os direitos tendem a ser direcionados apenas para um lado desta sociedade, já os deveres, não seguem o mesmo caminho, onde se criam um distanciamento grande, entre os que detém o poder, sendo que esta transferência de poder, nem sempre trarão beneficio individual ou coletivo, sendo que todos os benefícios, não lhes pertencem. Sendo canalizados todos os meios e lucros, que sempre tomarão a direção oposta do povo, tendo uma direção contraria ao povo. houve um direcionamento a privilégios e protecionismo a um grupo seleto de políticos, empresários, banqueiros e toda à elite burguesa, os quais sempre se protegem e lutam, sempre! por seus interesses e de seus partidos e grupos aliados. O regime militar, procurou, descentralizar este controle centralizado e canalizado, usados pelos sistemas políticos. Apesar da representatividade não tomar o rumo correto, sendo por imposição do sistema em poder, onde generais negociavam entre um grupo seleto e pequeno de pessoas, onde a representação, não seguia um caminho, o qual era democrático e de representação. Nestes sistemas o voto do povo de uma certa forma, não seguiu a dinâmica correta, onde o eleitor esteve no controle. Apesar dos veículos de comunicação, imprensa e mídias, mais o principal responsável pelo processo. Não opinou! Outro fator complicador, e a forma do processo democrático, onde são filtradas todas as informações, pros eleitores, eles não tem acesso as informações necessárias para fazer um rastreamento sobre o processo e os que estão envolvidos no processo, ficado sem controle sobre seus atos. “São meros passageiros de um sistema” Que são dirigidos por políticos e partidos. Em segundo lugar, para os eleitores que são fatores principais no processo democrático, não chega as informações negativas sobre um todo, chegam apenas informações de ordem positiva, onde há um caráter de influencia e condução de uma situação, onde alguém ganha e alguém perde, e, sempre quem perde e o principal responsável pelo processo democrático, que só saberá do verdadeiro acontecimento, quando não pode regressar a um estagio anterior. Os eleitores a serviço de grandes grupos, sendo vitimas de um sistema desigual e desonesto, em que sua única função e servir aos interesses de megacorporações e seus fantoches políticos. Usando assim um direito do eleitor para que sirva aos interesses de grupos e elites burguesa. No caso de vereador, contando com uma comunidade local, onde quase todos se conhecem, e buscam se ajudar, normalmente famílias, nas escalas mais altas, Governador, Senador, Presidente, há um jogo de interesses, onde os eleitores, são simples bonecos nas mãos dos mesmos, sem nenhuma condição, antes ou após as eleições, estes eleitos somente servirão aos interesses de grupos, oligarquias, empresas e megacorporações. O eleitor neste caso, passa a ser descartado, onde os eleitores dificilmente terão acesso com os eleitos, ficando sempre no impedimento, antes e depois das eleições, neste caso oligarquias e megacorporações, dão as cartas. O individual e coletivo, precisam ser disciplinados, para que as regras deste sistema, onde os pesos e medidas são desiguais, trazendo benefícios para grupos, os quais nem sempre se lembram, ou melhor há um descaso com o detentor do poder de fato, onde este poder e transferido, e em contrapartida não há equilíbrio nesta transação, ou neste acordo. As colônias e suas descolonização, que foram seguidas por grupos políticos trabalhistas e outros, os quais, acreditam estar numa posição superior, o egocentrismo nato, onde o outro, esta as suas ordens e aos seus interesses e dos grupos aos quais o politico pertence, não se importando com o outro, apenas aos seus. Há uma necessidade de reeducação em todas as bases deste sistema, começando pelos mais jovens, no sistema, uma reestruturação voltada para os interesses de todos, não apenas de grupos, corporações ou megacorporações, sendo que o poder e do povo, para o povo, existe uma inversão neste sistema atual. Que precisa ser debatido à curto prazo. Para que em médio prazo, não haja uma falência total deste sistema atual.