O Poder que corrompe!

Já ouviram esta frase, “quer conhecer o verdadeiro caráter de um homem; de lhe poder! Muitos fracos, já se perderam, muitos fortes, também se perderam. O homem não foi preparado para ter poder. Sendo que o mesmo e mau. Sempre ira usar o poder para controlar, escravizar, delimitar, se endeusar, querer ser Deus. O mesmo que não tem nenhuma bondade no coração, vai impor aos demais que lhes sirva e que todos lhe ofereçam prêmios e gratidão por tudo o que o mesmo não fez. “O homem e mau, já dizia certo filosofo” desta forma o mau, buscará o que lhe e habitual, a maldade. Sendo que corpos iguais se atraem e os diferentes se repelem. A luz tem sua hora, como as trevas (noite), também tem sua hora, os dois se encontram somente na hora de entregar sua jornada . não lhe e próprio acrescentar ou tirar nada da jornada do outro. Cada um tem direito de fazer modificações somente em sua jornada, não lhe e autorizado fazer qualquer modificação na jornada ao qual não lhe pertence. Então, se o Criador de todas as coisas, impôs limites aos quais precisam ser seguidos, sabendo ele do ontem, hoje e amanhã, ele próprio não deu tal poder ao homem de escravizar outro homem, sendo que os dois nasceram livres, para seguirem suas jornadas, todos livres para seguir, não sendo autorizado pelo dono de tudo. A acepção ou subserviência de uns para com os outros. O limite de uns para com os outros, era somente o respeito mutuo e o amor, de uns para com os outros. Todos criados para servir, não para serem servidos. Portando o poder foi imposto pelo homem mau. Que aproveitando da humildade de seu semelhante, que mantendo as características iniciais do amor e respeito. Usou como arma em seu favor. Sendo ele mau, e roubando a inocência de seu semelhante e irmão. O homem bom, foi vitima da maldade de seu semelhante, que sendo mau usou de táticas que lhes são próprias, para uso de sua maldade e que veio com suas raízes, sendo introduzidas nas folhas futuras de sua espécie, que continuou a escalada da maldade desde os primórdios da humanidade até o seu fim. O homem bom continuou o seu trajeto rumo ao futuro certo. Sendo que o homem mau, terá seu final na colheita. Pois a todo plantio, em seu final vira a colheita. E uma ordem do Criador. Que impôs tal regra, à ser seguida. Não sendo modificada nem pelo homem bom, ou mau. Na atualidade, o homem mau, tem sido o centro de todas as atenções do mundo. Aumentando em sua totalidade o seu plantio. O que lhe será imposta uma colheita, sem precedentes. Ao tal, e aos seus. Como e tolo o homem mau. Ajuntando quantidades as quais não tem domínio e não pode carrega-las, indo ele para onde vai. Não fez nada, em toda a sua trajetória, aqui neste sistema. O mesmo em sua tolice, olha pro futuro, que nem sabe se vai alcançar e sonha com o mesmo, se esquecendo do presente, onde poderia fazer todas as modificações para sua própria colheita no futuro, se chegar! O homem bom, seu trajeto de grão em grão, olha pro presente, preparando-se para uma colheita no futuro, com certeza de um futuro próximo que devera chegar, sem as ambições e maldades do homem mau, que vai em seu trajeto em uma velocidade acima da media, rumo ao desconhecido. Que chegara em breve, com toda a certeza, mas sem saber o que lhe espera, sendo que o feito do passado, precisar ser reembolsado à quem e de direito, para as devidas prestações de contas. Que não há como fugir, sendo que não terá mais domínio nenhum sobre si mesmo. Estará a mercê de outras entidades, as quais querem o que lhes e de direito, quanto aos atos praticados em toda a trajetória do homem mau. Que não terá como recorrer, sendo que suas petições, não poderão mais ser ouvidas, e o seu veredito final, terá chegado, e somente após a consumação de todos os seus atos praticados, e que lhes será imposta a condenação, onde nenhum juiz poderá mudar o veredito. E haverá muito choro e arrependimento, por parte do homem mau. E terá chegado o fim, do qual não terá proveito nenhum. Onde as lágrimas, cairão de dia e de noite. E nunca mais terá fim, onde o próprio não terá nenhum domínio sobre si ou atos, que lhes são impostos, por uma jornada. Sem fim.

O Outro

Em muitas ocasiões queremos tomar o lugar do outro. Sendo que não sabemos os verdadeiros problemas, derrotas ou vitórias do outro. Cada dia um problema diferente, mas acreditamos que somente nós; temos problemas? que à vida do outro e um verdadeiro; “mar de rosas”. Quando nos esquecemos que todos os seres humanos, tem problemas, alguns conseguem administrá-los, outros diminui-los e os demais aumenta-los. Tornando os em uma grande bola de neve. Sábios são os que conseguem em um mundo tão conturbado e problemático. Estarem indo rumo ao norte. Pois somente os que conseguem dar um passo à cada dia, serão o vencedor! O homem se tornou desde os primórdios da humanidade, o ser devorador de sua própria espécie, não por sobrevivência, mais sim por status, adoração, endeusamento e reconhecimento, querendo ser o melhor, o primeiro, mas se tornou durante todo o período da raça humana, sozinho e isolado dos demais seres, com medo dos males praticados à muitos. O homem sabe o local, sua área de atuação e domínio, mas não o quer. Ele quer o que pertence ao outro. Um verdadeiro desagregador, mau, onde o que lhe interessa e somente o que não lhe pertence. Não se importando com normas e procedimentos, quando tem! Ou quando não tinha. O que lhe interessa e o desejo de ser o único, o mais importante ou, o que vai ser endeusado. Ou os que lhe renderão culto de adoração por se achar que está acima dos demais, que está um degrau acima dos outros. Uma problemática desde os primórdios da humanidade, onde o homem caçava o próprio homem. Por domínio de território e alimentação. Sendo que ao que atacava e dominava, os demais lhes teria como sendo o seu troféu de conquista sobre tudo e todos. Onde seu único objetivo com o território dominado, era que os dominados estariam sobre o seu domínio, eram sua propriedade particular, onde ele fazia com todos, o que bem desejasse ou julgasse melhor ao seu ego. Muitos ditadores desde o princípio até os dias atuais, somente fazem os atos aos quais foram aculturados através de seus antepassados, e que colocam em prática na atualidade, conforme à sua maldade interior e a influência sofrida no princípio, aos quais fazem automaticamente seus atos de forma automática e programada com uma forte imposição da aculturação, como legado não de seus contemporâneos, mas de um passado distante, embasada na maldade humana, em todo o ser. “Os fins não justificam os meios” sendo que o desagregador, tem como princípio o individualismo, juntamente com a concentração de renda e poder, sobre os demais. O homem, sendo seu próprio devorador, espalhando o que deveria ajuntar. Trazendo discórdia e inimizades, por um único motivo. “A ganância”. Sendo que no seu habitat tem lugar para todos, porém o desagregador, não se satisfaz desta forma. Ele tem que espalhar, e ajuntar somente pra ele. Deixando os demais sem o seu próprio sustento diário. Desta forma se faz escravos? O outro, perde tudo o que tem, inclusive: dignidade, respeito, seus próprios deveres, pois o agredido torna-se um ferido e sem amor. Tudo causado pelo desagregador, que lhe dizimou até os seus sonhos. Trazendo as mazelas da humanidade para todos os meios do convívio coletivo. Sendo que o individualismo começa a tomar forma em todos os meios da sociedade contemporânea e atual, dando mais ênfase ao individualismo do que ao coletivo. O importante e ter, e não ser. Desta forma volta-se ao princípio das guerras por tudo. Inclusive por espaço e alimento. O homem só vai aprender a respeitar o outro. Quando aprender a amar. O homem tem o suficiente, o outro tem um pouco, mais o homem só se satisfaz com o pouco do outro. Sendo que não tem necessidade do pouco do outro. Mas para satisfazer a sua maldade e a medida do ter. O homem subtrai o outro. Tirando lhe o pouco que tem, causando lhe um mal sem precedentes, inclusive a própria morte do outro. Que sem nada e sem condições de adquirir o pouco, não consegue sobreviver e morre. Quantas gerações não ficaram com o outro. E o homem mau seguindo sua trilha de destruição. ATÉ QUANDO!

Concentração

A liberdade, os direitos, os deveres, a dignidade, as conquistas. Tudo se desfazendo, como areia entre os dedos. A ilegalidade tomando conta sem responsabilidade, aliado aos demais delinquentes, dando suporte e apoio aos atos ilegais que desabona ainda mais a ilegalidade. Conforme as conversas à meia noite? Com toda a equipe de poderes e seus comandados. Formando uma rede de proteção entre todos os aliados para destruição da base do país. Todos os delinquentes, são formados na mesma escola, sendo esta, formando pessoas sem puder e sem caráter, onde a mentira reina em todas as esferas, como uma teia, onde todos se seguram, protegendo aos quais fazem parte desta escola. Com uma preocupação em escala mínima, com o Estado, suas leis, seus deveres para com todos os cidadãos. A preocupação máxima dos tais, está enquadrada, no individual e coletivo da escola, aos quais pertencem. Dando pouca importância ou total desprezo, “As vozes que vêm das ruas”. Sendo que estes, são os verdadeiros donos do poder. Os quais delegaram os seus poderes, para pessoas que fizeram da mesma uma arma. Vitimando à todos os donos do poder, os quais foram traídos, com várias punhaladas, pelas costa! Os donos do poder, precisam delegar novas pessoas, as quais não foram contaminadas com os alunos da escola, sem pudor e caráter. Sendo que desta forma num futuro próximo, os que foram delegados, farão bom uso do poder. Para o bem do país e seus cidadãos. Respeitando à Constituição, Leis, Poderes e principalmente todos os cidadãos, independentemente de raça, religião, gênero e cor. TRAZENDO; ORDEM E PROGRESSO, PARA ESTA GRANDE NAÇÃO, QUE NÃO SERÁ MAIS GOVERNADA POR IRRESPONSÁVEIS.