Concentração

A liberdade, os direitos, os deveres, a dignidade, as conquistas. Tudo se desfazendo, como areia entre os dedos. A ilegalidade tomando conta sem responsabilidade, aliado aos demais delinquentes, dando suporte e apoio aos atos ilegais que desabona ainda mais a ilegalidade. Conforme as conversas à meia noite? Com toda a equipe de poderes e seus comandados. Formando uma rede de proteção entre todos os aliados para destruição da base do país. Todos os delinquentes, são formados na mesma escola, sendo esta, formando pessoas sem puder e sem caráter, onde a mentira reina em todas as esferas, como uma teia, onde todos se seguram, protegendo aos quais fazem parte desta escola. Com uma preocupação em escala mínima, com o Estado, suas leis, seus deveres para com todos os cidadãos. A preocupação máxima dos tais, está enquadrada, no individual e coletivo da escola, aos quais pertencem. Dando pouca importância ou total desprezo, “As vozes que vêm das ruas”. Sendo que estes, são os verdadeiros donos do poder. Os quais delegaram os seus poderes, para pessoas que fizeram da mesma uma arma. Vitimando à todos os donos do poder, os quais foram traídos, com várias punhaladas, pelas costa! Os donos do poder, precisam delegar novas pessoas, as quais não foram contaminadas com os alunos da escola, sem pudor e caráter. Sendo que desta forma num futuro próximo, os que foram delegados, farão bom uso do poder. Para o bem do país e seus cidadãos. Respeitando à Constituição, Leis, Poderes e principalmente todos os cidadãos, independentemente de raça, religião, gênero e cor. TRAZENDO; ORDEM E PROGRESSO, PARA ESTA GRANDE NAÇÃO, QUE NÃO SERÁ MAIS GOVERNADA POR IRRESPONSÁVEIS.

Nova Era do Gelo.

As mudanças são sempre necessárias. As atualizações sempre nos trarão incertezas e medo do desconhecido. Temos fobia as mudanças, o novo nos incomoda nos leva a uma regressão rumo ao certo e incerteza de um futuro incerto. O desconhecido nos apavora, por não saber o futuro e não estarmos preparados para um presente sem respeito, nos seguramos no passado em que conhecemos. Uma simples troca de placas na rua ou via pública, nos incomodam leva-nos a reflexões e medos, sendo que sabemos que o homem e mau. “Como disse um Filosofo certa vez; Terra de cego, quem tem um olho e Rei”, Isto no leva ao seguinte fato: Quem tem o poder e a informação, sempre será o fator determinante e com o poder da caneta que sempre trará os benefícios em seu favor dos seus. A classe proletária, sempre ficará de carona no veiculo, com rumo determinado por outrem, e que é pior. A ver navios! que passarão cada vez mais longe e serão inalcançáveis em um futuro próximo. Quem dita as regras sempre será fator de imposição, da determinação de outrem, nos teremos a possibilidade de acertos e erros, porém à probabilidade de uma simples equação, onde o resultado sendo pra mais, ou pra menos, os ajustes necessários em prol de um interesses individual ou coletivo, serão equacionados no determinantes dos poderes da burguesia, que impõe seus dotes e benefícios individuais e coletivos. A ordem dos fatores não implicarão no resultado final desta equação, que irá rumo ao futuro desconhecido. Ao qual o poder exercido implicará de uma forma à qual não terão um controle de ordem programada. Onde quem detém o controle, não estará no controle da situação, independentemente de valores por menores de interesses direcionados pela burguesia, que delimitara totalmente em um minúsculo espaço toda a classe proletária, visando somente seus deleites e dos seus. Onde para uma classe não haverá início, meio e fim. Mas somente FIM. Conflitos internos e externos, nos trazem aprendizados e atualizações, porém o conhecimento que e limitado para a classe proletária, acontecendo inversamente pra classe burguesa, Quando os valores saem do mesmo cofre. Os valores de ordem cultural, social e política, trazem uma delimitação pra ambas as classes, sendo uma formação dentro da classe, uma superior e outra inferior. Como competir, sendo que o filho do proletário e do burgues não tem as mesma condições e armas, que lhes são garantidos em um documento, em que as regras, são à igualdade, direitos e a liberdade. Isto nos coloca em vários paradigmas, em que as mudanças são de ordem lenta e gradual, acrescentando de degrau em degrau, não pra ambas as classes. Em contrapartida uma classe viaja na velocidade da internet. Isto causa conflitos, aos quais nos insere em mais uma era glacial, rumo ao futuro incerto e desconhecido. Como uma prisão, que nos cerca e delimita todo o nosso espaço físico, intelectual e cultural, em todos os campos e meios. Trazendo um medo de ordem crescente, à qual em muitos casos nos escraviza, sendo em toda ação, que com certeza corresponderá a uma reação, em busca da liberdade, valores, dignidade, respeito, ordem, decência, tentando quebrar todas as correntes que foram impostas por classes que sempre visaram seus interesses pessoais e coletivos e dos seus. Esquecendo-se dos outros e dos direitos. O homem foi imposto à uma forma de escravidão e subserviência, imposta não pelo estado, mais pelo próprio homem. Sendo que outros de ordem menos maus, buscam paralelamente e individualmente uma solução ou uma forma de equação igualitária mais humana para à maioria dos seres humanos, vivendo numa terra rumo ao incerto. Os seres humanos, com suas incertezas, conflitos e medos, rumo a um sistema, onde são sobrepostos todos os dias, mais normas e menos direitos. Cabe a todos nós estarmos prontos, treinados e preparados. Para o novo, em um mundo novo e atual, com os males do passado, que não serão equacionados, muito menos atualizados. FELIZ RUMO AO DESCONHECIDO.

O Outro

Em muitas ocasiões queremos tomar o lugar do outro. Sendo que não sabemos os verdadeiros problemas, derrotas ou vitórias do outro. Cada dia um problema diferente, mas acreditamos que somente nós; temos problemas? que à vida do outro e um verdadeiro; “mar de rosas”. Quando nos esquecemos que todos os seres humanos, tem problemas, alguns conseguem administrá-los, outros diminui-los e os demais aumenta-los. Tornando os em uma grande bola de neve. Sábios são os que conseguem em um mundo tão conturbado e problemático. Estarem indo rumo ao norte. Pois somente os que conseguem dar um passo à cada dia, serão o vencedor! O homem se tornou desde os primórdios da humanidade, o ser devorador de sua própria espécie, não por sobrevivência, mais sim por status, adoração, endeusamento e reconhecimento, querendo ser o melhor, o primeiro, mas se tornou durante todo o período da raça humana, sozinho e isolado dos demais seres, com medo dos males praticados à muitos. O homem sabe o local, sua área de atuação e domínio, mas não o quer. Ele quer o que pertence ao outro. Um verdadeiro desagregador, mau, onde o que lhe interessa e somente o que não lhe pertence. Não se importando com normas e procedimentos, quando tem! Ou quando não tinha. O que lhe interessa e o desejo de ser o único, o mais importante ou, o que vai ser endeusado. Ou os que lhe renderão culto de adoração por se achar que está acima dos demais, que está um degrau acima dos outros. Uma problemática desde os primórdios da humanidade, onde o homem caçava o próprio homem. Por domínio de território e alimentação. Sendo que ao que atacava e dominava, os demais lhes teria como sendo o seu troféu de conquista sobre tudo e todos. Onde seu único objetivo com o território dominado, era que os dominados estariam sobre o seu domínio, eram sua propriedade particular, onde ele fazia com todos, o que bem desejasse ou julgasse melhor ao seu ego. Muitos ditadores desde o princípio até os dias atuais, somente fazem os atos aos quais foram aculturados através de seus antepassados, e que colocam em prática na atualidade, conforme à sua maldade interior e a influência sofrida no princípio, aos quais fazem automaticamente seus atos de forma automática e programada com uma forte imposição da aculturação, como legado não de seus contemporâneos, mas de um passado distante, embasada na maldade humana, em todo o ser. “Os fins não justificam os meios” sendo que o desagregador, tem como princípio o individualismo, juntamente com a concentração de renda e poder, sobre os demais. O homem, sendo seu próprio devorador, espalhando o que deveria ajuntar. Trazendo discórdia e inimizades, por um único motivo. “A ganância”. Sendo que no seu habitat tem lugar para todos, porém o desagregador, não se satisfaz desta forma. Ele tem que espalhar, e ajuntar somente pra ele. Deixando os demais sem o seu próprio sustento diário. Desta forma se faz escravos? O outro, perde tudo o que tem, inclusive: dignidade, respeito, seus próprios deveres, pois o agredido torna-se um ferido e sem amor. Tudo causado pelo desagregador, que lhe dizimou até os seus sonhos. Trazendo as mazelas da humanidade para todos os meios do convívio coletivo. Sendo que o individualismo começa a tomar forma em todos os meios da sociedade contemporânea e atual, dando mais ênfase ao individualismo do que ao coletivo. O importante e ter, e não ser. Desta forma volta-se ao princípio das guerras por tudo. Inclusive por espaço e alimento. O homem só vai aprender a respeitar o outro. Quando aprender a amar. O homem tem o suficiente, o outro tem um pouco, mais o homem só se satisfaz com o pouco do outro. Sendo que não tem necessidade do pouco do outro. Mas para satisfazer a sua maldade e a medida do ter. O homem subtrai o outro. Tirando lhe o pouco que tem, causando lhe um mal sem precedentes, inclusive a própria morte do outro. Que sem nada e sem condições de adquirir o pouco, não consegue sobreviver e morre. Quantas gerações não ficaram com o outro. E o homem mau seguindo sua trilha de destruição. ATÉ QUANDO!

Contramão,

Século vinte e um, tudo pelo social, responsabilidade social, politicamente correto, sem exclusão, sem acepção, pela fim do desmatamento, pelo fim da fome, pelo resolução dos problemas sociais em todas as esferas globais. São todos belos e projetados discursos em todo o sistema global. Como eu queria ter a inocência primeira sem as maldades que me foram impostas nestes cinquenta e três anos de existência. Em tudo o que o homem põe a mão, será dizimado no início ou no final, suas ações, suas pretensões, suas palavras. Vem de encontro ao seu ser, que em muitos casos estão em um estado não evolutivo, e de barbárie. Hoje com a velocidade das informações na mídia escrita, falada ou visual, tudo vêm se contradizendo à todas as ações humanas na terra. Que esta totalmente em fase final de processamento, ou com os seus dias contados e sem a esperança  necessária no aguardo do que poderia vir em um futuro bem próximo, sendo que não temos mais nenhum tempo para uma espera de prazo alongado. Como eu desejaria voltar ao estado inicial de inocência, sendo que tudo o que vêm pra nos enriquecer culturalmente, já vêm com um prazo de validade vencido. E sendo assim nos tornamos reféns de um sistema de cultura e informação, que a cada segundo do dia, se torna obsoleto. As atualizações acontecem com uma velocidade e frequência muito acima das quais somos alimentados. A vazão inicial e menor que a vazão final, sendo estático o processamento e absorção, quanto as ações humanas em todos os segmentos sociais do planeta. Hoje acontecem em todos os grupos defensores de seus direitos, a exclusão, não existe uma regra clara, objetiva, séria, conforme o respeito que e assegurado a todos os cidadãos que compõem a sociedade atual, não à primitiva em que todos estavam lutando contra todos, mas sim uma sociedade que deveria ser culta e respeitada pelos seus valores, etnias, crenças, e por ai vai… “que hora o povo deverá acordar”. Antes ou depois do fim de todo o sistema global. Os direitos que são constituídos e delegados, não são respeitados e muito menos cumpridos em sua totalidade, se assim fosse, não teríamos tantas discrepância nos tribunais, aos quais são impostas regras, ordens, leis, as quais são canalizadas para os interesses de minorias as quais detém os benefícios e favorecimentos. Enquanto estivermos com este legado desatualizado, arcaico e ultrapassado, andaremos todos nós na contramão e sem rumo ao desconhecido, ao qual não saberemos onde vamos ancorar. “Que saudade da inocência inicial e estado de pureza do ser humano”.

O Sombra

Em muitas ocasiões da vida, nos colocamos como o principal ou segundaria. Isto ocorre quando nos desviamos da posição contrária da maré. Sendo que tomamos direção positiva ou negativa, quando chegamos à bifurcação da estrada, onde somos obrigados a parar. No sentido de novos padrões que muitas vezes, nos colocam na posição secundária ou não? Nos mantemos em segundo lugar quando deixamos de lado tudo o que nos somos ou não. Por necessidade ou oportunidade. Sendo que na necessidade, nem sempre somos nos mesmos, pois agimos na calada de muitos assuntos próprios ou não. A partir de amanhã, começaremos a partir do meio e não do fim. Pois nos colocaremos a base de todo o sistema ocupacional e não da administração, no sentido total como um todo do assunto central da particularidade de cada um, em todo o conteúdo aplicado ou em parte e total único sistema que valeria, sendo que no montante ou em parte, no caso citado, haveria uma classificação total e imparcial, para a aplicação de uma sistemática ocupacional e não em pratica, sendo em parte como um todo. Processo único de sustentabilidade, para a colação de grau em classe simples ou para o cálculo mais avançado e atualizado, no controle total ou parcializando que o parcelamento da primeira parcela, será colocado no sentido positivo e não no negativo. Pois o positivo acrescenta. Está em sentido de ascensão. Partilhado na primeira parcela de um acordo, que será e terá como base todo o conteúdo do ficou acertado no positivo e não no negativo, pois foi acrescentado no inconsciente e subconsciente do indivíduo. Será neste sentido que haverá uma divisão: sendo a primeira parcela; o sombra, que atingiria os níveis positivos. E a segunda parcela; a sombra, que atingiria níveis negativos e que não seriam acrescentados ao sistema de formação de um cidadão e posterior sociedade. Com a impossibilidade não nos colocaremos em sentido contrario, pois iremos marcar todos em sentido único. Que será fora o positivo, estando em exceção com o seguido pela humanidade atual e anterior. Não movendo-se para a direita ou esquerda, seguindo conforme o escrito à muitos anos atrás. Onde buscava-nos uma direção no sentido e não contrário a sequencia. Embora que nunca fomos totalmente compreendidos. Afinal, o que foi feito antes do marco inicial, serviu como exemplo e nossa sequencia se tornará nossa sombra em um futuro distante. Nossa sobra continuará sem sabermos quanto as lembranças do passado. Continuarão ou não! Valeria dizer para nossa honra; “FIZEMOS A NOSSA PARTE”. Nossa contribuição ninguém nos subtrairá. Será sombra quer haja contradição ou não. Os sobreviventes do futuro nos darão os devidos créditos, sendo que será apenas o reconhecimento por um estado de natureza e não de barbárie.

Day Green!

Antes tarde do que nunca. Já ouviram isto? Muitos discursos, poucos recursos, cobranças de sobra. Condições de menos, quando tudo isto deve parar. Ou nunca haverá uma sobreposição, sendo que a classe dominante vão se articulando e com seus acordos sobre a atenção das trevas. Tudo vai sendo encoberto, pelo menos por enquanto. Sendo que a classe dominada, sendo de sua total maioria, menos letrada e sem condições ou sem as armas necessárias, para a imposição. E ficando a deriva,num mar revolto e sem escrúpulos pela totalidade da classe dominante, que são em sua totalidade mais unida em meios aos números, que são adquiridos de formas ilícitas, com seus acordos sobre a testemunha das trevas. Em meio a tudo isto, ressurge das cinzas, um potencial em contraposição à classe dominante, que são os jovens, que querem o seu lugar na fatia maior da classe dominante, e que se preparam, usando as armas que lhes foram disponibilizadas, apesar de fracas e obsoletas e ultrapassadas, mas eles vêm, com determinação, sendo que viveram e vivem em uma sociedade totalmente injusta, cruel, protecionista,e sem oportunidades, para os tais, a classe dominante, impõe a injustiça total, e todas as falcatruas, de que lhes são familiar. Acredito no potencial dos jovens para que haja uma mudança profunda, nos ser que perdeu tudo, e se tornaram a classe dominante. Eles não tem nada, no sentido de seres humanos. São a escoria em toda a sua totalidade. Sem nada, sendo que: são nada. A elite, classe dominante, acredita que o poder da exclusão e uma essência que vieram com eles, sendo que estão em sua totalidade enganados por suas próprias ciladas, que lhes são impostas sobre os ombros dos tais. Os jovens estão chegando pra requerer o que lhes e de direito. O seu lugar ao sol. Portanto e chegada a hora, não da força, mas da habilidade, sendo que quem está ressurgindo das cinzas, tem, pois o que lhes foi imposto, não servia apenas de veneno, mais de aprendizado, para os que souberam se sair das garras da opressão, o golpe baixo da elite, classe que pensa que e dominante. Preparem-se: e chegada a hora da ocupação. Não como forma de exclusão, mas sim da forma correta. A inclusão, sendo que quem soma, acrescenta, trazendo beneficio para o coletivo, não como a elite, que individualiza tudo, trazendo todos os benefícios para os tais. Uma nova força ressurge para ser coroado com os devidos direitos de um povo honesto, trabalhador, digno e honrado. Portanto e chegada a hora de dar honra a quem tem honra, e somente o povo brasileiro e digno de honra. Vamos passar esta pagina negra da historia do Brasil, e deixa-las num passado bem distante, e que haja menos erros num futuro próximo. Jovens; avante e sucessos.

OPORTUNIDADES…

Mais dois dias de oportunidades para todos os quase dez milhões de estudantes brasileiros, um direito garantido em nossa constituições, à qual querem esquecer. Conforme disse certo filosofo louco! “estudar e pra quem tem dinheiro”. Que loucura para uma só persona. Eu fico pensando como devem se sentir orgulhosos e bem representados todos os que votaram no filosofo louco. “que sai filosofando e sonhando, achando que está fazendo um grande feito para os brasilianos”. Mas enfim vamos falar do que e sério e merece respeito! que são os brasileiros que estão tentando o seu lugar ao sol, buscando uma nova oportunidade na vida. Antes que o filosofo louco, entre em sena novamente. Se é que vai entrar ou está entrando? Mas vamos falar de coisa séria. O Brasil dos brasileiros que buscam oportunidades nestes dias, sonhando com os pés no chão, e trabalhando muito com toda a certeza. É deste povo que nos devemos nos orgulhar e que sirvam de exemplos, esta grande geração que vem por ai. Geração que vai a luta, que sabe o que quer e busca as oportunidades que lhes são oferecidas, apesar de divisão após divisão de oportunidades, quanto o correto séria a multiplicação de oportunidades para esta brava gente brasileira. Que a juventude que ressurge neste momento, esqueça o passado negro ao qual alguns vivenciaram. Que não lhes sejam acrescentados em seu caráter e essência, (NADA DO QUE NOS VIVENCIAMOS NA ATUALIDADE), que lhes seja rasgada esta pagina negra de nossa história. E que vivamos uma nova época com está juventude que buscam suas oportunidades, as quais não lhes são oferecidas, conforme seus direitos. Que os heróis de ontem ressurjam hoje e sempre, para o bem do homem de caráter e honra. Que são esta brava gente brasileira, da qual eu tenho a grande honra de fazer parte, a base da economia deste belo país, que apesar de todas as dificuldades que nos são impostas, nós estamos à cada dia dando mais um passo. E que esta juventude, vire esta pagina o mais breve possível.

A agua subiu…

Como entender  a cabeça do ser humano, sendo que todos são iguais, segundo a constituição, não segundo a biologia, como entender a elite, quando se sente ameaçada em suas próprias falcatruas, pois isto lhes e normal e diário, se estamos todos juntos, Hermanos, unidos no mesmo propósito a subtração e a divisão entre os Hermanos, tudo esta sob controle, então unidos seremos para sempre, mas quando há o rompimento da subtração ou por azar ou alguém querer subtrair mais que o outro, ou na divisão, em uma quantia maior, onde sobrará pouco pros demais, (digo pouco, sendo a cifra de milhões), “ai o bicho pega; Irmão”. Ou quando alguns dos Hermanos, caem na garra de alguém, o qual e temido pelos Hermanos, e à agua começa a subir. Tudo perde o controle, tudo fica descontrolado, os Hermanos não se entendem, e as explosões acontecem com material lançados para todos os lados, e as vezes sem direção, sendo que os Hermanos perderam o controle, e a agua começa a subir. O cerco se fecha, os Hermanos não se reconhecem mais, os acordos passam a não existir, e entra, “o salvem se quem puder”, e a agua vai subindo. Então como entender todo este processo de organização e controle, que se perde pelo caminho, quem foram seus professores, como esta experiência não sobreviveu. Tantos anos juntos e na reta final estes desentendimentos, como explicar, ou entender. E a agua! Dizem alguns sábios que aqui se faz aqui se paga. Qual fim dos Hermanos? será que num futuro distante, ressurgirão das cinzas, “ como a Fênix”. O que será dos Hermanos, como procederão em um futuro a curto prazo. Quem poderá entende-los, serão eles culpados ou inocentes. E a agua! Então vamos recapitular; sobrara alguém sendo Hermanos ou não para recomeçar, sendo que estão todos com um pouquinho de problema a curto prazo. E o Juiz! Porque este Juiz tinha que aparecer neste momento. Porque não num futuro a longo prazo. O Juiz. E agua. QUAL FUTURO DOS HERMANOS. Que pena povo Honesto e Trabalhador deste belo país. E a agua! e o juiz! e los hermanos.

Estado natural.

Como é bom ser vizinho, para o vizinho a vida do vizinho da frente e sempre uma festa! Na ótica de cada um, olhando da porta da frente; “o vizinho da direita diz olha só este cara, esta hora da manhã observando à rua e tudo o que por ela passa, da mesma forma o vizinho da esquerda, faz a mesma observação” na vida as observações são feitas de uma forma direta e não objetiva? Sempre analisamos o que queremos ver! independentemente do raio de visão ao qual alcançamos no momento da análise. “O carro passa rápido, o mendigo que está debaixo da ponte”, jamais trocamos de lugar com o observado ou à análise da ação do momento em contexto, no ato observado. O carro que passa correndo no nosso raio de visão em uma velocidade acima da média. Qual razão para esta velocidade! No raio de visão do motorista. Tal ato se torna necessário, para atingir seu objetivo. Ex.: (Salvar uma vida). O mendigo; como ele chegou a este estado de inexistência atual? O que aconteceu! qual causa ocorreu para este estado de transformação inversa do ser social em “ante – social”, de quem foi a culpa! Para que tal ato de transformação inversa tenha se Caraterizado. Para que ele tenha seguido este caminho na contramão do que é politicamente correto. Se é que do lado visto por ele, ou “raio de visão”, deste cidadão, para ele seu estado atual, é ou será politicamente correto e aceitável ao seu ver e agir, sendo para sua vida em seu estado atual correto e aceitável, em seu meio social, individual ou coletivo. Isto seria aceitar o diferente como normal, sendo que ele não se torna diferente, nem menos cidadão do qualquer outro cidadão? Pagando seus impostos ou não! fazendo uma opção de vida ou não!. E um ser humano como qualquer outro? Com sonhos ou não! Como observar o outro no nosso raio de visão, sem respeitar o outro, no seu ser, com suas observações, medos, credos, sabores e dissabores. O social, cada ser o observa de maneira que se associa com sua formação, sendo ela leiga ou acadêmica, e só nos resta aceitar! sendo que meu ponto de observação, sempre será o meu ponto de observação, independe da opinião de outro ser? sendo ele leigo, ou acadêmico. Todos os seres têm sua opinião formada sobre assuntos e atos variados, e isto independe da opinião formada por outro ser, esta já está em formação desde os primórdios de sua existência, sendo a favor ou contra, não irão mudar repentinamente o pensamento deste ser observado, o observador terá que usar não somente seu ponto de vista, ou raio de ação, mas sua influência e todo o seu poder de convencimento. O outro sempre será o outro em seu raio de visão, independentemente do observador. Que terá que aprender a ver o mundo real ou surreal, existindo coerência ou não! Havendo ponto de partida ou elo de ligação? Quebrando o inexistente, trazendo o ajuste da ótica dentro do acontecimento. Aceitando ou não! sem impor ou alterar o acontecimento; Que irá seguir seu destino, como a vida.

Heróis Teachers.

Dia do Professor, Criado no dia 15 de outubro de 1827, pelo Imperador D. Pedro I, Há 189 anos, comemora-se no dia 15 de outubro dia do Professor; Esse herói, que muitas vezes passa por vilão, mas que na verdade e a base da formação de muitos brasileiros à quase “duzentos anos”, servindo não somente de professor, mas de médico, psicologo, amigo, pai ou mãe, de muitas gerações, os educadores de uma forma geral, vem atravessando séculos, sem serem notados, pois uma grande nação, se faz com grandes homens, e grandes homens se faz com grandes professores. Os autores da “PEC 241”, com certeza não tiveram grandes professores, os atuais gestores que estão ai, por acidente e acordos, não tiveram grandes professores. Apenas quem valoriza esta digna profissão, com certeza tiveram grandes professores. Sendo que: “os corpos iguais se atraem e os diferentes se repelem”, portanto à responsabilidade que tantas vezes é transferida para o educador, que tem a responsabilidade de sua alçada e de outras condições que lhes são impostas, Tantas condições adversas da profissão, Lares destruídos por tantos males, sendo que tudo e canalizado para o professor, que não tendo o elo de ligação casa, escola, o próprio educador precisa construir esta ponte, escola, casa. E em tantos outros casos que exigem um esforço pessoal extra e de criatividade diariamente, em uma escala sempre crescente. Elementos e medos que ainda trazem insegurança a educação, “inclusão social, educação igualitária e de boa qualificação, dificuldade de aprendizagem, crises de todos os feitos e formas”, trazendo para estes educadores e heróis, um distanciamentos ainda maior e preocupante, sendo que os males apenas aumentam. Os educadores que lutam contra tudo e todos, sendo que lhes é impostos cobranças de formas variadas pela sociedade e políticos sem prepara e sem caráter, que trazem a cada lei, muito mais problemas do que solução. Quero lhes ser grato, à todos os meus professores, e desejo lhes fazer um pedido. Apesar de todas as imposições; NÃO DESISTAM DE NÓS.